Quem sou eu

Minha foto
Viamão, RS, Brazil
Trabalhador, de Esquerda e Socialista!

Meu Site

Meu Site
Um Click e conheça quem é Itamar Santos

Total de visualizações de página

1ª CVS Rs

1ª CVS Rs
6,7 e 8 de Outubro de 2017 na FETAG RS.

1 ª CVS RS

1 ª CVS RS
Fetag RS

Eleição do CES RS

Eleição do CES RS
Eleito Vice Presidente do CES RS em 15-12-16

O Nosso Estado.

O Nosso Estado.
Rio Grande do Sul

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Brogodó é aqui.



A ficção de tempos em tempos nos trás comparações no mínimo, intrigantes. A inteligência mídiatica é inquestionável, bem como a estrutura disponível para disseminá-la é instantânea.

Tanto na ficção como na informação a indústria cultural despeja nas telinhas e telonas, pura lavagem cerebral, martela o tempo todo à noção de que há uma ameaça aos bons, aos normais e saudáveis que vem dos maus, os aberrantes e doentios e ameaça o status quo, principalmente o terrorista e o serial killer.

E para simbolizar essa idéia utiliza metáforas representadas por atores angelicais que são produzidos para representar esta visão nas telinhas ou telonas e essa industria é muito bem paga por seus telespectadores para serem, ironicamente, manipulados.

Essa manipulação é produzida desde sempre nas nossas cabeças e produz conseqüências incompreensíveis como o caso do extremista norueguês que deve ter assistido, por exemplo, toda série do Harry Potter, aquele do mundinho paradisíaco da escola de bruxaria ameaçado pelo caos que um Bin Laden de nariz achatado personifica.

No caso de Brogodó, cidade fictícia global me provoca a fazer uma leitura diferente desta lógica mídiatica que quer através deste folhetim desprestigiar os políticos e os rebeldes.

No enredo novelesco todo político é corrupto e tirano que se utiliza desse poder para corromper os demais funcionários públicos, neste caso o delegado e os policiais e aqueles que se colocam contrários a estas praticas são representados pelos cangaceiros e como nos relatos históricos oficiais querem nos fazer crer que no cangaço estão os bandidos marginais e por isso não há saídas para essa sociedade a não ser se subjugar ao status quo.

Com certeza nossa vida real esta recheada de tiranos que criam ao seu redor verdadeiros feudos onde ele é o reizinho, mesmo que para isso tenha que corromper e intimidar a todos que se submetem a esta situação por impotência ou conivência, mas cabe-nos como cidadãos lutar contra essa tentativa de implementação do neofeudalismo e denunciar esta pratica delituosa.

Feudalismo descreve um conjunto de obrigações legais e militares recíprocas entre a nobreza guerreira, giram em torno de três conceitos chaves dos Lordes, vassalos e feudos. Um Senhor é um nobre que ocupou terras, vassalo era uma pessoa que foi concedida a posse da terra pelo Senhor, e a terra era conhecida como um feudo. Em troca do uso do feudo e a proteção do Senhor, o vassalo iria fornecer algum tipo de serviço para o Senhor. Havia muitas variedades de posse da terra feudal, consistindo de serviço militar e não militar. As obrigações e direitos correspondentes entre o Senhor e vassalos sobre o feudo formam a base da relação feudal onde as vantagens ficam com os “senhores/nobres”.

Numa comparação livre com os dias atuais esta relação esta entre os políticos que dominam os seus feudos/municípios em troca de cargos nas Prefeituras produzindo uma vassalagem (os ocupantes desses cargos) que fazem o que o “Reizinho/Prefeito” determina.

Neste contexto encontra-se também uma grande engrenagem que produz muito poder econômico mantido pela corrupção que como já disse deve ser combatida por todos aqueles que sonham em construir uma sociedade livre, soberana e democrática.





















quinta-feira, 28 de julho de 2011

Os Usuários e a 14ª CNS III

Muito se fala e nada se faz ou muito pouco é feito em Saúde Pública no Brasil.

Enquanto não se tiver neste país vontade política de fazer realmente saúde pública se permanecerá sofrendo e morrendo nas intermináveis filas hospitalares, nas unidades básicas de saúde ou a espera por consultas ou exames especializados.

Tudo na vida se começa pela base e obviamente se não tivermos uma boa base não teremos uma estrutura boa e resolutiva.

A formulação e implementação da política de Atenção Básica estam hoje intimamente relacionadas às responsabilidades estabelecidas pelo “Pacto pela Saúde”, que define a Atenção Básica como um conjunto de ações de saúde que abrangem a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e a manutenção da saúde. Leia:

Por isso a Atenção Básica deve estabelecer vínculos com a população local, de modo a se tornar seu contato inicial (a Porta de entrada) com o Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, a Unidade Básica de Saúde do nosso bairro é a nossa porta de entrada para todos os problemas de saúde que possamos ter.

Para executar com dignidade esse importante projeto é necessário ter financiamento e ao longo dos anos desde a sua criação o SUS vem sofrendo entraves e fortes ataques a sua integralidade e para enfrentar essa batalha sempre é bom reafirmar que o SUS é o melhor plano de saúde do mundo e não deve ter seus recursos financeiros e tecnológicos privatizados como pretendem os grandes grupos de saúde privada nacionais e internacionais apoiados por integrantes de instituições públicas de todos os poderes.

O financiamento público para a saúde desde a sua criação esta garantida em lei e todos os estudos realizados nesta área apontam para esta necessidade, mas todos os governantes enquanto gerentes do SUS introduzem inúmeros planos e seus critérios para de certo modo “premiar” os operadores públicos do sistema em seus municípios e estados.

Agora estamos sob a égide do “Pacto pela Saúde” que é um conjunto de reformas institucionais pactuado entre as três esferas de gestão (União, estados e municípios).

É a partir desse pacto que ocorrem as transferência dos recursos que passaram a ser divididas em seis grandes blocos de financiamento (Atenção, Básica, Média e Alta Complexidade da Assistência, Vigilância em Saúde, Assistência Farmacêutica, Gestão do SUS e Investimentos em Saúde) e para isso os municípios através de suas Secretarias de Saúde são o brigados a cumprir certos critérios, ( Leia: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/volume_4_completo.pdf) até aí nada de mais, a não ser que o não cumprimento desses critérios os municípios deixam de receber os recurso.

É nesta forma de repasse que vejo problema porque é o usuário que fica com o prejuízo da incompetência do gerente de plantão.

Neste aspecto o Governo Federal deve criar outros mecanismos de fiscalização e de fazer realizar com os compromissos pactuados entre os entes governamentais para que não venha interromper os repasses de recursos financeiros aos municípios e ao estado.

Será a partir da garantia de recursos financeiros necessários é que teremos a consolidação do SUS como único garantidor da saúde pública e assim teremos saúde para todas as pessoas independente de sua condição social.







terça-feira, 26 de julho de 2011

Os Usuários e a 14ª CNS II. Regulação.


No atendimento de urgência/emergência temos o serviço de Regulação que é desenvolvido pelo SAMU aqui no RS é de responsabilidade do Governo do Estado/HPS.

O Conselho Federal de Medicina - CFM, pela Resolução 1451/95, define como URGÊNCIA, “a ocorrência imprevista de agravo à saúde com ou sem risco potencial de via, cujo portador necessita de assistência médica imediata”, e EMERGÊNCIA, como “a constatação médica de condições de agravo à saúde que impliquem em risco iminente de vida ou sofrimento intenso, exigindo, portanto, o tratamento médico imediato”.  Leia Mais:


A equipe de regulação é composta de telefonista, radio operador, motorista de ambulâncias, enfermeiras (os), técnicos de enfermagem em emergência médica, médica (o) reguladora (o).

Esta equipe deverá ter local com infraestrutura necessária para atender por telefone as chamadas encaminhadas para central 192 e através do médico regulador realizar a orientação necessária à primeira pessoa que esta presente junto ao usuário em emergência até a chegada do SAMU e assim até a definição do Hospital habilitado para receber o caso em questão. Leia mais:  

Mas é na escolha do serviço por parte dessa equipe regulatória onde o usuário deverá ser atendido que o sistema comete falha, pois nos falta uma rede hospitalar devidamente estruturada e uma central de regulação devidamente informada e informatizada das condições reais da atual rede. Esta desestruturação cria muita demora no socorro e desperdícios de muitas vidas e de dinheiro no vai e vem das ambulâncias em busca de atendimento nos possíveis hospitais.

Conforme a resolução do CFM e da Secretaria Municipal de Porto Alegre este serviço trata de risco iminente de vida e sofrimento intenso, portanto o usuário deve ser atendido imediatamente, sua vida estabilizada e o seu sofrimento controlado com os devidos procedimentos imediatos proporcionando conforto sem dor.

Tanto na regulação externa, pré-hospitalar, realizada pelo SAMU ou interna, realizada no acolhimento hospitalar ou ambulatorial deve-se ter como premissa o atendimento rápido e confortável dos usuários. Exemplo: Um Paciente com enfarto agudo do miocárdio, ou com grandes hemorragias, ou politraumatizados, ou com insuficiência respiratória aguda, este paciente esta na condição de agravo da saúde que demanda atenção imediata, com risco de levar o paciente a óbito dentro de uma hora.

Isso todo mundo sabe!

Porque não há uma ação pratica no socorro desse paciente no ato do atendimento?

Eu não acredito que em um hospital não exista nenhuma tecnologia que salve vidas até a chegada de um médico, caso não se encontre no momento esse profissional a disposição.


É um absurdo um cidadão ser atropelado em Alvorada, com fratura exposta, e ficar por 14 horas indo de hospital em hospital e não encontrar um local que podesse realizar uma cirurgia de urgência. Isso aconteceu neste sábado, 23 e o usuário foi atendido na Santa Casa de Rio Grande.

Pode isto???

Estes são exemplos corriqueiros e devem servir de parâmetro para as discussões das próximas Conferências Estadual e Nacional de Saúde tendo em vista que o SUS no papel é uma maravilha, mas na vida real passa por praticas desumanas que devem ser combatidas e transformadas muito rapidamente sob pena de no futuro próximos estarmos legalizando a eutanásia de pobre por ineficácia do sistema como já se faz hoje nos casos de amputação de membros por falta de atendimento preventivo em diabetes ou em politraumatizados que não são atendidos com rapidez.

Urge que tenhamos clareza de que o SUS deve ser equipado com tecnologia estrutural e de pessoal suficiente para que possa salvar vidas.



MSN: itamarssantos13@hotmail.com




segunda-feira, 25 de julho de 2011

Os Usuários e 14ª Conferencia Nacional de Saúde.






“Os participantes da 14ª CNS, em todas as suas etapas (municipal, estadual e nacional), além de reiterar a postura e atitude em defesa dos princípios e diretrizes constitucionais do SUS. São também detentores do compromisso e da responsabilidade de promover discussões e realizar debates, buscar melhores alternativas e escolher rumos de superação, inovação e sustentabilidade para o crescimento, consolidação e legitimação das políticas públicas de Seguridade Social”. Leia mais em:
http://asaudequetemososusquequeremos.files.wordpress.com/2011/04/questoes_orientadoras.pdf



A citação acima esta inclusa no documento orientador da 14ª Conferencia Nacional de Saúde e é muito pertinente tendo em vista o terrível ataque que vem sofrendo o SUS através dos mais diferentes operadores do Sistema de Saúde, tanto público como privado. Somente através da mobilização e conscientização popular refundaremos o SUS para todos e dever do Estado Brasileiro como garante a constituição Federal.

É no município que acontece ou não acontece o SUS. São os usuários que tem a visão universal em que o SUS esta constituído e por vezes os interesses corporativos não o deixam avançar em direção da universalização plena e verdadeiramente democrática que requer as necessidades populares.

Neste sentido reafirmo a necessidade do Estado Brasileiro garantir os orçamentos necessários para a área da saúde aprovando na integra a emenda constitucional 29 que determina que a União aplique no SUS 10% do PIB (Produto Interno Bruto) de seu orçamento; que os Estados Confederados apliquem 12% liquido de seus orçamentos e que os Municípios continuem aplicando os 15% de seus orçamentos neste grande e humano sistema de saúde pública.

De 1 a 4 de setembro deste ano teremos a realização da 6ª Conferencia Estadual de Saúde, em Tramandaí, onde teremos a oportunidade de aprovar estas e outras propostas que reafirmem o papel do SUS no Brasil preparando as proposições que serão apresentadas na 14ª Conferencia Nacional de Saúde.

São nestes momentos em que a democracia participativa é garantida temos que estarmos conscientes das nossas necessidades e das nossas responsabilidades quanto fiadores do SUS. Dentre os vários e importantes temas que estão sendo discutidos para que o SUS tenha maior resolutividade; quero salientar a humanização do atendimento.

É no primeiro atendimento do usuário que se estabelece a sequência de todos os demais procedimentos. Nesta acolhida estabeleceremos todas as outras fazes dos demais níveis de complexidade.

Atualmente tem-se varias experiências de acolhidas de usuários nas unidades de básicas de saúde e nas Urgências/Emergências que vão desde os atendimentos de livre demanda, classificação de risco até as intermináveis filas por ordem de chegada que tornam os atendimentos aterrorizantes.

Segundo seus defensores a partir da implantação do Acolhimento com Classificação de Risco ou Protocolo de Manchester a expectativa é de que, com a mesma estrutura existente atualmente, os pacientes graves sejam atendidos no tempo exigido pela gravidade da doença e não mais por ordem de chegada.

Os pacientes serão inicialmente atendidos por uma dupla de enfermeiros, que fará uma triagem e avaliação dos sinais vitais do paciente (pressão arterial, freqüência cardíaca, respiração, temperatura axilar, saturação de oxigênio e glicemia capilar).

Esses pacientes serão classificados em quatro categorias, hierarquizando o atendimento.

Vermelho (Emergência) -Condição de agravo da saúde que demanda atenção imediata, com risco de levar o paciente a óbito dentro de uma hora. Exemplo: enfarto agudo do miocárdio, grandes hemorragias, politraumatizados, insuficiência respiratória aguda.

Amarelo (Urgência) -Condição de agravo da saúde, que também demanda atenção rápida, e que pode, se não tratada, levar a óbito em até 12 horas, pela evolução da patologia. Exemplo: uma insuficiência respiratória branda em um paciente asmático, não tratado, pode levar o paciente à exaustão, parada respiratória, cardíaca e óbito.

Verde -Pacientes que serão atendidos no Serviço Médico de Urgência, num prazo máximo de até 4 horas, mas cujas condições gerais não indicam a necessidade de atenção médica imediata. Por exemplo: uma infecção de garganta, uma contusão muscular.

Azul -Aqueles pacientes estáveis que não necessitam de atendimento imediato em estrutura de grande complexidade. Serão orientados a procurar os CEM ou uma Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua moradia para atendimento ambulatorial.

No sistema até agora adotado, os usuários são atendidos por ordem de chegada.

Alem de ser polêmico a Classificação de Risco vem sendo aplicada somente nas urgências/emergências hospitalares e sem regras claras, pois cada instituição aplica a seu modo deixando os usuários sem o atendimento ou a informação necessária por horas mesmo com os médicos sem pacientes para atender. Em qualquer um desses níveis o importante é que o usuário deve receber um atendimento que lhe dê o mínimo de conforto não ficando relegado somente à espera em um banco duro e gélido de hospital.



MSN: itamarssantos13@hotmail.com



6ª Conferência Estadual de Saúde, de 1 a4 de Setembro de 2011, em Tramandaí/RS

14ª Conferência Nacional de Saúde, de 30 de Novembro a 04 de Dezembro, em Brasilia.

1ª Conferência de Saúde Ambiental de Viamão.

1ª Conferência de Saúde Ambiental de Viamão.
Itamar Santos é eleito Delegado à etapa Estadual.

Representantes de Viamão na I Conferência Nacional de Saúde Ambiental-Etapa Estadual

Representantes de Viamão na I Conferência Nacional de Saúde Ambiental-Etapa Estadual
Verônica-PMV, Delmar-ONG, Simone-UAMVI, Itamar Santos-Mov. Sindical.

A Igreja Matriz de Viamão.

A Igreja Matriz de Viamão.
Referência de um Povo.

As 10 estratégias de manipulação midiática, por Noam Chomsky

Neoliberalismo e Globalização. Saiba o que são!

Juizes e suas Mordomias! Isso o JN não mostra.

CHÊ

CHÊ
O Maior Revolucioário que já viveu!!!

Bandeira do nosso time.

Bandeira do nosso time.

Eu sou Gaúcho

Eu sou Gaúcho
Mas,bah! Tche!

fidel

fidel
Um Lider

Saramago disse:

Eu na Internet

Charges que falam por si!!!!

Charges que falam por si!!!!
Sarney

Ataque aos Trabalhadores I

Ataque aos Trabalhadores I
Bm usa cavalaria contra MST em São Gabriel.

Ataque aos Trabalhadores

Ataque aos Trabalhadores
Trabalhadores encurralados pela BM em São Gabriel.

Assassinato do Trabalhador Rural Elton Brum em São Gabriel-RS

Assassinato do Trabalhador Rural Elton Brum em São Gabriel-RS
Marcas do tiro de calibre 12, arma da BM do Governo Yeda(PSDB,PMDB,PTB,PP,DEM) - Fotos do rsurgente-

Assassinato de São Gabriel

Assassinato de São Gabriel
Tiro a traição, da BM, mata trabalhador rural em São Gabriel.

A Guerra.

A Guerra.
BM usa armas de guerra contra MST em São Gabriel.

Paim prestigia ato em Viamão.

Paim prestigia ato em Viamão.
Paim observa discurso de Itamar Santos.

E o Congresso?

E o Congresso?
Sarney

Os Congressistas.

Os Congressistas.
Da coleção Sarney 2009

Visitantes. A partir de 05/10-2009

Paim em Viamão.

Paim em Viamão.
Ronaldo, Senado Paim, Itamar Santos e Ridi.