Quem sou eu

Minha foto
Viamão, RS, Brazil
Trabalhador, de Esquerda e Socialista!

Meu Site

Meu Site
Um Click e conheça quem é Itamar Santos

Total de visualizações de página

1ª CVS Rs

1ª CVS Rs
6,7 e 8 de Outubro de 2017 na FETAG RS.

1 ª CVS RS

1 ª CVS RS
Fetag RS

Eleição do CES RS

Eleição do CES RS
Eleito Vice Presidente do CES RS em 15-12-16

O Nosso Estado.

O Nosso Estado.
Rio Grande do Sul

sábado, 25 de maio de 2013

Internação compulsória.

Cena curriqueira nas grandes metrópoles,
mas esta pessoas escolheram estarem assim???


          Não é a primeira vez que ouvimos esta palavra nos noticiários brasileiros para atormentar nossas vidas e confundir a nossa compreensão.

          A compulsoriedade é um artificio utilizado por aqueles que querem impor sua vontade mesmo que esta vontade não esteja, ou seja, entendida amplamente pela população como sendo uma proposta admissível, viável e correta.

Neste 2013 a compulsoriedade vem contaminada pela ideologia dominante mundialmente onde o Brasil e seu povo mais uma vez serão cobaias onde a luta entre capital e trabalho permanecem na epiderme social.

          A luta de classe fica claríssima quando O DR Osmar Terra, PMDB, impõe como força de lei as internações compulsórias para os viciados em crack e outras drogas sejam internados.

          O Brasil necessita ser “limpo” para poder receber um dos maiores eventos capitalistas onde a FIFA esta autorizada a chefiar esta “missão” pelo sistema capitalista altamente em crise na Europa e por isso aqui esta sendo o campo fértil para o sistema sobreviver explorando a nossa força de trabalho que lhes garante lucro fácil.

          Além de ser autoritária esta proposta vem isolada de uma politica de saúde publica integral que garanta o atendimento clinico adequado aos usuários de crack e outras drogas, bem como omite dados estatísticos que comprovam que quem mais vicia é as drogas licitas e contra estas drogas nada é feito para que aja uma Redução de Danos junto da sociedade advindo do seu consumo.

          A grande intensão desta lei é a de higienização social para poder receber os capitalistas estrangeiros durante os trinta dias da copa do mundo.

          A politica de combate às drogas deve ser um conjunto articulado de ações vinculantes e intersetoriais de governo que privilegie a prevenção ao uso de drogas, o combate ao trafico e o tratamento a saúde dos usuários de drogas tendo o serviço publico como o executor direto destas ações.

          Deve haver do governo brasileiro uma ação dura no combate ao trafico de drogas desde suas fronteiras ate as mansões das grandes cidades.

          Uma ação governamental imediata deve acontecer junto à mídia nacional e internacional proibindo a propaganda de produtos viciantes na TV, jornais e rádios como as bebidas alcoólicas e nos eventos esportivos da copa do mundo de 2014, das olimpíadas de 2016 a sua venda.

          A adoção desta politica como do Estado Brasileiro para todo o seu território iniciaremos assim a primeira grande campanha de educação preventiva contra o uso de drogas no Brasil.

          A adoção de medidas importantes como essa sofrem grandes pressões das grandes indústrias multinacionais contrarias ao vim da massificação antidemocrática de seus produtos que dizimam milhares de vidas e famílias em todo o globo terrestre.

          A efetivação deste tipo de politica deve ter um grande apoio popular para garantir ao governo legitimidade popular para a execução de tal medida.

          Tem um ditado popular que diz: Obrigado!! Somente pau arrastado lomba acima e puxado por um trator. Com isso finalizo te dizendo que o povo deve ser livre e para ser livre tem que querer.
Alguém, alguma vez já ouviu estas pessoas???


           

          

Redução de Danos

          A Política de Redução Danos surgiu como uma estratégia para enfrentar as situações causadas pelo uso de drogas e do contagio do vírus HIV.

          Por volta de 1920, 1930 em Rolleston, um condado no interior da Inglaterra, que tinha uma espécie de um centro de saúde, conta-se que seus trabalhadores, médicos e enfermeiros, ao irem para o trabalho tinham que obrigatoriamente passar por um grupo de moradores de rua, usuários de heroína injetável e de álcool. 

E aquilo começou a intriga-los, pois não tinham como ajuda-los.

          Então esses técnicos resolveram distribuir heroína e álcool no centro de saúde, assim os usuários iriam ao posto para poder pegar a droga, chegando ao posto de saúde eles ganhavam, além da porção, o direito de poder tomar um banho, lavar suas roupas e, se quisessem, podiam conversar com esses médicos, com esses enfermeiros, psicólogos, enfim eles passaram a usar essa possibilidade para atrair esse grupo. 

Os resultados foram tão bons que o Condado de Rolleston tornou sendo o berço da redução de danos no mundo, isso em 1930, 1940.

          Veio a se constituir como politica de saúde na Holanda na década de 1970 onde havia locais de saúde abertos ao consumo de drogas.

          A redução de danos questiona vários conceitos e praticas e entre elas estão às palavras chaves que organizam o pensamento em relação às drogas que são; prevenção e tratamento.

          Veja o uso do álcool, por exemplo, os adolescentes olham para os adultos que bebem numa boa e veem que a prevenção não foi cumprida, pois a prevenção diz para não usar nunca, é por isso que a prevenção que as pessoas tanto gostam é uma ilusão porque não a interesse social em negar as drogas. Há uma grande hipocrisia nisso.
         
É possível usar drogas e cumprir com as suas responsabilidades?

          Muitos de nós duvidamos disso, mas ao darmos um passeio pela cidade veremos “quanta gente bonita”, “quanta gente rica”, “quanta gente boa”, quanta gente que estuda e trabalha e vai beber, e depois volta para casa numa boa, não perde trabalho nem família, e não roubam ninguém... E não são notados nas estatísticas como usuários de drogas, mas as “gentes feias, pobres e ruins” necessitam ser retirada a força das ruas???


          Como eu queria achar que o mundo é o mundo que eu imagino.
          O mundo é diverso, avesso a minha vontade e a ausência do exercício da democracia, tão importante para nós, é que precisa ser restaurada para que a gente (os bonitos e bem de vida) comece a lidar melhor com esses (os feios e pobres), assim chamados, grupos de alta vulnerabilidade.

          E no momento que admitimos que haja um grupo vulnerável neste universo onde o uso “descontrolado ou irresponsável” de drogas pode gerar a morte do individuo acredito que os Programas de Redução de Danos possam ser boas estratégias para reduzir os danos à saúde contribuindo nas suas opções sem que isso seja visto como permissivo ou antidemocrático.

          A droga sempre existiu e sempre vai existir, e as pessoas usam drogas, licitamente ou ilegalmente. O problema não é a droga em si, mas é a relação que a gente estabelece com ela.

          Tem uma frase histórica, do psiquiatra e professor na UNIFESP, Dr. Dartiu Xavier da Silveira que diz: “o contrário de dependência não é abstinência, o contrário de dependência é liberdade”.

          Isso pode explicar porque somos contrários à internação compulsória... Se for livre para optar em usar drogas a internação trata de uma doença da liberdade.

          E a nossa convivência com a democracia é muito curta, consequentemente, a gente não sabe viver com liberdade, então admitirmos que seja um direito de cada um usar drogas e que isso não significa sermos permissivos e sim democráticos se torna difícil, até certo tabu.

          A redução de danos é muito polêmica, pois ela não traz só prevenção de doenças, ela traz toda a liberdade à tona e para termos liberdade temos que ter nossos direitos garantidos e nossos deveres cumpridos, sermos responsáveis por nossas escolhas.

          Viver em democracia tem o seu preso e quando alguém escolhe livremente fazer uso de drogas esta optando em correr riscos, pois cada um de nós reage ao uso de um modo ainda mais quando há um sistema que lucra com tudo que escolhemos, por isso há de se pensar como devemos contrapor-se a hipocrisia do comercio legal de drogas que é permissivo a iniciação do consumo ilegal ou devemos liberar geral???






6ª Conferência Estadual de Saúde, de 1 a4 de Setembro de 2011, em Tramandaí/RS

14ª Conferência Nacional de Saúde, de 30 de Novembro a 04 de Dezembro, em Brasilia.

1ª Conferência de Saúde Ambiental de Viamão.

1ª Conferência de Saúde Ambiental de Viamão.
Itamar Santos é eleito Delegado à etapa Estadual.

Representantes de Viamão na I Conferência Nacional de Saúde Ambiental-Etapa Estadual

Representantes de Viamão na I Conferência Nacional de Saúde Ambiental-Etapa Estadual
Verônica-PMV, Delmar-ONG, Simone-UAMVI, Itamar Santos-Mov. Sindical.

A Igreja Matriz de Viamão.

A Igreja Matriz de Viamão.
Referência de um Povo.

As 10 estratégias de manipulação midiática, por Noam Chomsky

Neoliberalismo e Globalização. Saiba o que são!

Juizes e suas Mordomias! Isso o JN não mostra.

CHÊ

CHÊ
O Maior Revolucioário que já viveu!!!

Bandeira do nosso time.

Bandeira do nosso time.

Eu sou Gaúcho

Eu sou Gaúcho
Mas,bah! Tche!

fidel

fidel
Um Lider

Saramago disse:

Eu na Internet

Charges que falam por si!!!!

Charges que falam por si!!!!
Sarney

Ataque aos Trabalhadores I

Ataque aos Trabalhadores I
Bm usa cavalaria contra MST em São Gabriel.

Ataque aos Trabalhadores

Ataque aos Trabalhadores
Trabalhadores encurralados pela BM em São Gabriel.

Assassinato do Trabalhador Rural Elton Brum em São Gabriel-RS

Assassinato do Trabalhador Rural Elton Brum em São Gabriel-RS
Marcas do tiro de calibre 12, arma da BM do Governo Yeda(PSDB,PMDB,PTB,PP,DEM) - Fotos do rsurgente-

Assassinato de São Gabriel

Assassinato de São Gabriel
Tiro a traição, da BM, mata trabalhador rural em São Gabriel.

A Guerra.

A Guerra.
BM usa armas de guerra contra MST em São Gabriel.

Paim prestigia ato em Viamão.

Paim prestigia ato em Viamão.
Paim observa discurso de Itamar Santos.

E o Congresso?

E o Congresso?
Sarney

Os Congressistas.

Os Congressistas.
Da coleção Sarney 2009

Visitantes. A partir de 05/10-2009

Paim em Viamão.

Paim em Viamão.
Ronaldo, Senado Paim, Itamar Santos e Ridi.