Quem sou eu

Minha foto
Viamão, RS, Brazil
Trabalhador, de Esquerda e Socialista!

Meu Site

Meu Site
Um Click e conheça quem é Itamar Santos

Total de visualizações de página

1ª CVS Rs

1ª CVS Rs
6,7 e 8 de Outubro de 2017 na FETAG RS.

1 ª CVS RS

1 ª CVS RS
Fetag RS

Eleição do CES RS

Eleição do CES RS
Eleito Vice Presidente do CES RS em 15-12-16

O Nosso Estado.

O Nosso Estado.
Rio Grande do Sul

sábado, 8 de agosto de 2009

Somos Hipócritas, Tolerantes ou Intolerantes?



No geral o povo brasileiro é um povo de extrema diversidade devida a sua formação continental e colonizado por inúmeros outros povos carregados de suas culturas e costumes.

Este caldo cultural e de sabedoria nos proporciona ser um povo muito resistente e com extrema vontade de vencer as adversidades que nos impuseram no decorrer da nossa história.

Por termos esse perfil é o que nos faz tolerar esta extrema diversidade de opiniões e situações.

Com o passar dos tempos e devido à evolução tecnológica, principalmente após o surgimento da televisão a nossa forma de ver e sentir as mais variadas coisas que acontecem próximas a nós tem muita influência na forma com analisamos estes fatos.

A TV tem influência em tudo àquilo que venhamos a consumir e até naquilo que forma as nossas opiniões.

A muitos de nós que compram determinado creme dental porque aquela marca é usada pela(o) galã da novela das 20hs, exibida sempre depois das 21hs e a gente acha isso normal.

Outra coisa que nos faz prestar atenção são os assuntos que destacam a vida intima dos artistas famosos, sabemos com detalhes quantas vezes esses trocaram de parceiro e achamos isso “normal”, mas se isso acontece com uma pessoa ligada à política, este caso se transforma em um escândalo capaz de interromper a vida de todo o país.

A isso chamamos de que?

O que seremos nós se pensarmos assim?

Somos Hipócritas? Tolerantes ou Intolerantes?

Hipócritas são aqueles que sabem que existe e faz como não tenha acontecido nada e ainda afirma que não aconteceu.

Os tolerantes toleram tudo o que acontece ao ponto de se tornarem alienados e não se importam com nenhum assunto; enxerga as coisas acontecer na sua frente e não tomam nenhuma atitude.

No máximo conformam-se: Isso é assim mesmo!

E há os intolerantes que não avaliam a importância que o fato tem para o destino de sua vida e da vida em sociedade ao pouco de se tornar um sectário, onde somente a sua posição é a que vale.

Para mim, misturar fatos da vida intima de uma pessoa, pública ou não, com a sua atividade pública ou privada é estreitar o debate do assunto em discusão.

Atualmente o fato que toma conta de todos os veículos de comunicação no Brasil e no Mundo; são as noticias sobre a Gripe Suína e sobre os escândalos de corrupção nos órgãos públicos envolvendo políticos de todas as colorações partidárias.

Estes são fatos que tem que ter por parte do povo um grau de atenção bem mais importante e não deve ser encarado como sendo mais um caso, porque “todos os políticos são iguais”.

Já dizia minha avó: “Igual é uma ninhada de pintos antes de mudarem de penas”.

O que está acontecendo no Senado Federal e aqui no Palácio Piratini, sede do Governo de todos nós Gaúchas (os) não nos permite sermos hipócritas ou tolerantes com este tipo de acontecimento.

Se repudiarmos esses acontecimentos, nos caracteriza sermos INTOLERANTES SECTÁRIOS, então pertenço a essa categoria de gaúcho e assim exijo FORA YEDA e FORA a todos os SARNEY’S da vida dos brasileiros e das brasileiras.

Não basta vir aqui ou em um dos grandes meios de comunicação da chamada “grande imprensa” e dizer para não votarmos mais para SENADOR.

Para atingi-los de cheio devemos participar ativamente da vida política no nosso estado e no país, porque se não fica muito bom para os corruptos que tem os seus eleitores que sempre os elegem e assim sempre teremos uma Governadora como a que esta aí!

E teremos os mesmos de sempre no Senado, na Câmara dos Deputados Federais, aqui na Assembléia Legislativa e nas Prefeituras e Câmaras de Vereadores.

Nossa Intolerância deve se transformar em ação transformadora exigindo que o País tenha uma Lei Política e Eleitoral que privilegie o povo acima de qualquer interesse e que isso seja representado na escolha dos nossos representantes proporcionalmente ao numero de eleitores de cada Estado da Federação Brasileira.

Ou seja, o meu voto e teu voto valham o mesmo que o voto de um Baiano, Alagoano, Amapaense ou Paulista.

Além de se ter a representatividade Estadual levada a sério tem que ter partidos políticos sérios que tenham Estatuto e Programas definidos ideologicamente onde toda a população tenha conhecimento destes documentos.

E mais temos que exigir a inclusão de mecanismo que permita ao conjunto da população interromper o mandato dos eleitos a qualquer momento que o mesmo cometa algo relevante e prejudicial à sociedade.

Estes e tantos outros mecanismos que de fato possibilite a população participar ativamente dos destinos do País em todos os níveis serão a grande revolução sem armas que podemos fazer no Brasil.

Sem a participação efetiva da população não teremos uma nação cidadã e volta e meia estaremos dando mais importância à vida intima dos homens e das mulheres públicas que decidem o destino de todos nós, queiramos ou não, com o nosso voto ou não.

Afinal nos interessa se o Presidente Lula pode ou não ter uma filha “fora” do casamento, se pode ou não a Governadora Yeda se separar do Marido durante o mandato e se o Berlusconi pode ou não pode fazer sexo aos 72 anos de idade com quem ele quiser e com quem quiser fazer com ele.

Ou é mais importante para nós o comportamento deles ao desempenharem suas atividades públicas atribuídas pelos seus cargos nos quais nós os colocamos com o nosso voto.

E para não me chamarem de intolerante!

Será muito bom chegar aos 72 anos de idade com uma vida sexual ativa e tendo quem se interesse por nós por aquilo que somos e representamos e não pela conta bancária que temos.

Mais do que tudo isso temos ser INDEPENDENTES E CONSCIENTES dos nossos atos e de nossas escolhas.

MSN: itamarssantos13@hotmail.com

Falar a verdade faz bem a Saúde?



Transformei a afirmação de marketing do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul em questionamento para chamar a atenção sobre este tema de grande importância para a sociedade gaúcha e brasileira em geral.

A Saúde se torna pauta somente quando há uma grande epidemia ou desastre de transito ou da natureza.

É nestes momentos que os olhares da sociedade se voltam para a saúde e sob condições extremas se faz todo o tipo de cobranças como se fossem nestes momentos que deve ser realizado as mudanças necessárias que há décadas o setor e a população reivindicam.

Mas, é nestas ocasiões extremadas que deve aproveitar a atenção generalizada que estes fatos impõem a saúde deve ser aproveitado para chamarmos atenção de todos (as) sobre os problemas invisíveis que a saúde pública enfrenta no dia-dia.

O fato mais notório atual é sem duvidas a epidemia da Gripe Suína que nos dá uma importante oportunidade de discutir e propor várias demandas necessárias para transformar todos os serviços de saúde realmente em públicos como é o caso do fornecimento de medicamentos fundamentais para garantia da vida.

É neste momento que a sociedade tem que perceber e exigir dos seus governantes a quebra das patentes controladas e monopolizadas por empresas multinacionais que somente visão o lucro.

Exigir que o Estado se capacitasse para diagnosticar com rapidez/eficácia as causas que atacam a vida das pessoas como aconteceu aqui no LACEN - Laboratório Público Gaúcho onde os exames de sangue provenientes de pacientes suspeitos de ter adquirido o vírus da Gripe Suína, agilizando assim o tratamento do usuário contaminado.

Estas são ações que de verdade faz bem a saúde!!!

Outro tema que gera muita polêmica é o atendimento das gestantes, em especial o Parto.

Como deve ser este parto? Parto natural ou por cesariana?

Parece simples! Mas não é.

Há aqueles profissionais médicos que defendem que o parto deve ser por cirurgia e outros indicam o parto normal ou natural.

Essa divergência se torna maior ainda quando se fala que estes partos devem e/ou podem ser realizados por enfermeiros (as) obstetras e em Casas de Partos.

As Casas de Partos são unidades de acompanhamento de gravidez de baixo risco, geralmente coordenadas por enfermeiras (os) obstetras e estruturadas no conceito de que o nascimento é um evento natural e por isso pode ser realizado sem intervenção cirúrgica.

Há mais de dez anos o Ministério da Saúde determina pela portaria 985/1999, esta prática e a Lei 7.498 dão a competência aos enfermeiros para realizarem o parto nacional.

É aí que as divergências começam a aparecer apesar dos índices de mortalidade dos nascidos por este método ser próximo de zero no Brasil e por este conceito ser respaldado internacionalmente por unanimidade.

A partir desta divergência a “verdade deixa de fazer bem a saúde” e passa a valer uma disputa mesquinha que tenta colocar o médico como sendo o ser supremo capaz de realizar este procedimento e de preferência tem que ser cirúrgico relegando aos enfermeiros (as) um papel secundário e incapaz.

Mas, para a verdade faz bem a saúde, ela tem ser toda dita. A verdade é a existência de uma disputa mercadológica onde se coloca o médico como sendo o único profissional “competente” para realizar este e outros procedimentos a fim de justificar o pagamento a maior por procedimentos que podem ser menos oneroso ao Estado ou para o paciente, se particular, além de ser mais humano para a mãe e para o bebe.

O que realmente esta em disputa neste caso é o interesse financeiro de grande parte da classe médica brasileira que estão interessados nos lucros provenientes das cirurgias de cesarianas, das consultas do pré-natal e dos exames que este acompanhamento lhes proporciona.

Este conceito esta embasado nos princípios capitalistas onde o lucro é o objetivo principal e assim se justifica “resolver o problema” em 40 minutos realizando uma cesariana e ir rapidamente para o seu consultório particular atender outra paciente ou atender em outro emprego público para ganhar mais dinheiro.

Esta é a lógica capitalista e este lucro fica comprovado quando os números mostram a verdade que faz bem a saúde: O Brasil é o país que mais realiza partos por cesariana representando 44% dos nascimentos, este número passa para 81% dos partos realizados por plano de saúde privados e no Sistema Público é de 26% dos casos, sendo que o indicativo da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 15%.

Já o Parto Normal ou Natural tem uma visão mais humanizada onde a mulher pode beber líquidos antes do nascimento, ter acompanhante presente e ser atendido por enfermeiros obstetras e tudo isto com qualidade profissional e custo mais baixo.

Esta é mais uma boa luta a ser apoiada, pois das 23 Casas de Partos existentes no Brasil, apenas 5 seriam administradas por enfermeiros (os).

A Casa de Parto David Capistrano Filho-RJ organiza pela internet um abaixo assinado de apoio a criação de mais destas Casas no Brasil.

Assinando este apoio estaremos apoiando o fim da discriminação e da perseguição profissional mentirosamente escondida no Brasil.

Ou falar a verdade não faz bem à saúde?


MSN: itamarssantos13@hotmail.com

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A Personificação da Corrupção no Brasil II.




Após o retorno das férias de inverno os nobres parlamentares, em especial, os Senadores, proporcionaram mais uma triste demonstração de como não se deve fazer política.

Ah! Que fique bem claro.

Esta é a única parcela da população que desfruta mais de 30 dias anual de “férias”.

Estamos no século XXI, estamos em pleno processo de instalação cibernética e em avançado estágio de informatização onde a humanidade não sabe bem qual será o seu próprio futuro, assistimos o retorno animalesco de Collor de Melo tal e qual de quando foi inquilino não grato do Palácio da Alvorada.

O bate boca entre Pedro Simon (PMDB-RS) e Collor (PTB-AL) na ultima segunda-feira (03-08-09) quando da abertura dos “trabalhos” do Senado Federal retratou pedagogicamente como são eleitos e de como se perpetuam no poder políticos deste quilate.

O ódio, a raiva estampada no semblante e na voz de Collor de Melo identifica o seu caráter mafioso e maléfico e ao mesmo tempo denunciam que apesar de estarmos no século XXI com um enorme conhecimento cientifico, os políticos brasileiros usam práticas do Século XIX.

Onde o mando se concentra nas mãos dos capitães hereditários, sendo o povo tratado no tronco a chibatadas, ou seja, somos um povo vivendo na escravidão que elege este tipo de político pela força do medo.

E onde a Justiça absolve de qualquer acusação esse tipo de gente por que é um poder classista que julga pela condição social dos acusado e não sob a égide da lei condizente com crime ora cometido, ou você já se esqueceram de que Collor de Melo foi o Presidente deposto por ter sobre si várias e sérias acusações de corrupção.

Assim com Collor (PTB), temos o seu conterrâneo, Renan Calheiros (PMDB), José Agripino (DEM) do Rio Grande do Norte e outros Inocêncios/Sarneys têm nos seus currículos vários fatos, no mínimo, mal explicados.

Apesar de existir fartos indícios contra elles a Justiça brasileira se cala e nada faz para extirpar estes cancerosos da vida da nação.

O coronelismo é uma ideologia enraizada no cotidiano brasileiro, a qual se associa a qualquer outra prática para se manter no poder.

E aqui nos nossos pagos não é muito diferente, onde o Senador Pedro Simon representa oportunamente este espaço. Apesar de não ter nada que desagregue o seu nome; Pedro Simon é daqueles políticos que permanecem no mais absoluto silêncio durante grande parte de seus mandatos, só aparecendo em fato de ampla cobertura midiática.

Na sua longa carreira política se manteve intocável, mesmo nos tempos da ditadura militar/civil, por ser um destes políticos do tipo “camaleão”, moldando-se conforme a conjuntura de cada época.

Um dos tantos exemplos desta prática, Simon, está a dar a sociedade gaúcha nesta atual conjuntura, pois em Brasília serra fileiras contra Sarney e sua gangue, mas aqui no Palácio Piratini cala-se perante as várias denuncias de corrupção contra a sua aliada Yeda Crusius (PSDB).

Seu silêncio é tão contagioso que ensurdece uma boa parcela da população gaúcha, mesmo em casos mafiosos e criminosos como se desenha ser o caso envolvendo o Sr. Marcelo Cavalcante (embaixador do Governo Yeda/Feijó na capital Federal) encontrado morto boiando em um lago em Brasília.

Como acabar com esta situação de coisas? Esta é a grande questão que é urgente ser respondida.

E a resposta passa obrigatoriamente pelo envolvimento de considerável parcela da população que foi aculturada a não se interessar pela política.

Como integrantes desta sociedade, devemos nos manifestar contrariamente a este tipo de fatos, devemos nos indignar, nos envolver, fiscalizar, enfim participar da vida política e social do nosso bairro, município, estado e país.

Ou sejamos cidadãos e cidadãs por inteiro ou viveremos na escravidão de um poder mantido pela corrupção criminosa.

Quando encerro este texto, o MPF dava uma entrevista coletiva às rádios e TV’s na capital gaúcha onde indicia a Governadora Yeda Crusius, seu marido e mais sete pessoas de suas relações pessoais e políticas no caso do Detran-RS.

O MPF entre outras providencias, solicita o afastamento da Governadora do RS.

Em breve, escreveremos!!!!


MSN: itamarssantos13@hotmail.com

terça-feira, 4 de agosto de 2009



**PANDEMIA... DE LUCRO!

No mundo, todos os anos morrem dois milhões de pessoas vítimas da malária, que poderia ser prevenida com um simples mosquiteiro. E a mídia não diz NADA.

No mundo, todos os anos dois milhões de meninos e meninas morrem de diarréia que poderia ser tratada com um soro oral de 25 centavos. E a mídia não diz NADA.

Sarampo, pneumonia, doenças curáveis com vacinas baratas, causam a morte de dez milhões de pessoas no mundo todos os anos. E essas notícias não são divulgadas.

Mas há alguns anos atrás, quando a gripe aviária surgiu, inundaram o mundo de notícias, sinais de alarme?
Uma epidemia, a mais perigosa de todas! Uma pandemia! Só ouvia da terrível doença das galinhas.

Porém, o influenza causou a morte de 250 pessoas em todo o mundo. 250 mortos durante 10 anos, para o qual dá uma média de 25 vítimas/ano..

A gripe comum mata meio milhão de pessoas todos os anos no mundo... Meio milhão contra 25.

Um momento. Então, por quê se armou tanto escândalo com a gripe aviária?

Simples. Porque atrás dessas galinhas havia um "galo", um galo de espora grande.

O Laboratório farmacêutico Roche com o seu já famoso Tamiflú, vendendo milhões de doses aos países asiáticos.
Embora o Tamiflú é de efetividade duvidosa, o governo britânico comprou 14 milhões de doses para prevenir a população deles.

Com a gripe aviária, Roche e Relenza, as duas grandes companhias farmacêuticas que vendem esses antivirais, obtiveram milhões de dólares de ganância.

Antes com as galinhas e agora com os porcos. Sim, agora a psicose começou com a gripe suína. E os jornalistas do mundo só falam disto.

Eu desejo saber: se atrás das galinhas havia um "galo", atrás desses porcos não haverá um "grande porco"?
Porque indubitavelmente são as multinacionais poderosas que vendem os remédios supostamente milagrosos.

E novamente a "bola da vez" é o "milagroso" Tamiflú? Quanto custa? US$50 a caixa!
50 dólares uma caixa de pastilhas? Que negocião!

A companhia norte americana Gilead patenteou o Tamiflú. O maior acionista desta companhia é um personagem sinistro, Donald Rumsfeld, o secretário de defesa de George Bush, "descobridor" das armas químicas que ocasionou a guerra contra o Iraque.
Os acionistas dos grupos Roche e Relenza estão se dando as mãos, felizes com as vendas milionárias do duvidoso Tamiflú.

A verdadeira pandemia é o lucro, a enorme ganância destes mercenários da saúde.

Se a gripe suína é uma pandemia tão terrível como anunciam os meios de comunicação, se para a Organização Mundial da Saúde (OMS) ela preocupa tanto, por quê não declara isto como um problema de saúde pública mundial e autoriza a fabricação de medicamentos genéricos para a combater?


** Recebi pelo meu correio eletrônico de auto desconhecido: POR FAVOR PASSE ESTA MENSAGEM PARA TODOS OS SEUS CONTATOS, COMO SE FOSSE UMA VACINA DE FORMA QUE TODOS SAIBAM A VERDADEIRA RAZÃO DESTA "PANDEMIA."

6ª Conferência Estadual de Saúde, de 1 a4 de Setembro de 2011, em Tramandaí/RS

14ª Conferência Nacional de Saúde, de 30 de Novembro a 04 de Dezembro, em Brasilia.

1ª Conferência de Saúde Ambiental de Viamão.

1ª Conferência de Saúde Ambiental de Viamão.
Itamar Santos é eleito Delegado à etapa Estadual.

Representantes de Viamão na I Conferência Nacional de Saúde Ambiental-Etapa Estadual

Representantes de Viamão na I Conferência Nacional de Saúde Ambiental-Etapa Estadual
Verônica-PMV, Delmar-ONG, Simone-UAMVI, Itamar Santos-Mov. Sindical.

A Igreja Matriz de Viamão.

A Igreja Matriz de Viamão.
Referência de um Povo.

As 10 estratégias de manipulação midiática, por Noam Chomsky

Neoliberalismo e Globalização. Saiba o que são!

Juizes e suas Mordomias! Isso o JN não mostra.

CHÊ

CHÊ
O Maior Revolucioário que já viveu!!!

Bandeira do nosso time.

Bandeira do nosso time.

Eu sou Gaúcho

Eu sou Gaúcho
Mas,bah! Tche!

fidel

fidel
Um Lider

Saramago disse:

Eu na Internet

Charges que falam por si!!!!

Charges que falam por si!!!!
Sarney

Ataque aos Trabalhadores I

Ataque aos Trabalhadores I
Bm usa cavalaria contra MST em São Gabriel.

Ataque aos Trabalhadores

Ataque aos Trabalhadores
Trabalhadores encurralados pela BM em São Gabriel.

Assassinato do Trabalhador Rural Elton Brum em São Gabriel-RS

Assassinato do Trabalhador Rural Elton Brum em São Gabriel-RS
Marcas do tiro de calibre 12, arma da BM do Governo Yeda(PSDB,PMDB,PTB,PP,DEM) - Fotos do rsurgente-

Assassinato de São Gabriel

Assassinato de São Gabriel
Tiro a traição, da BM, mata trabalhador rural em São Gabriel.

A Guerra.

A Guerra.
BM usa armas de guerra contra MST em São Gabriel.

Paim prestigia ato em Viamão.

Paim prestigia ato em Viamão.
Paim observa discurso de Itamar Santos.

E o Congresso?

E o Congresso?
Sarney

Os Congressistas.

Os Congressistas.
Da coleção Sarney 2009

Visitantes. A partir de 05/10-2009

Paim em Viamão.

Paim em Viamão.
Ronaldo, Senado Paim, Itamar Santos e Ridi.